Futuras

11.09 – 14.11.2021

ERRO 417: EXPECTATIVA FALHADA

O medo do falhanço (simultâneo ao desejo do sucesso), potenciado pelo sistema económico capitalista (que infeta todos os outros sistemas sociais e culturais), tornou-se tanto um dos maiores impulsos humanos como o valor de juízo pelo qual nos avaliamos, servindo como medida que estabelece as hierarquias sociais. Mas as noções de falhanço e sucesso nunca estão livres de prerrogativas: a ideia de sucesso está intrinsecamente ligada a diversas condicionantes estruturais – a cor da pele, o género, a sexualidade, etc. – e, acima de tudo, ao cumprimento dos expectáveis papéis dentro destas categorias.
Falhar, e aprender na falha, assumem uma acrescida importância na produção artística – entre a insatisfação, a rejeição, a dúvida, o erro e a experiência, a ideia de sucessivamente tentar e falhar torna-se combustível para a experimentação especulativa e para a criação conceptual. Assumindo a premissa do falhanço como uma ferramenta de resistência contra-hegemónica, esta exposição, com curadoria de Marta Espiridião, apela à crítica dos modelos estáticos de sucesso e falhanço, e ao questionamento do seu papel na construção da vida pessoal e comum.
Erro 417: Expectativa Falhada resulta do projeto concursal Expo’98 no Porto, que atribui duas bolsas para a realização de duas exposições na Galeria Municipal do Porto. Selecionada por um júri externo à equipa da GMP, composto por Daniela Agostinho, Miguel Ferrão e Nuno Faria, esta é a segunda exposição apresentada no âmbito do concurso, cujo orçamento total é de 98.000 euros. 

Curadoria:
Marta Espiridião

Imagem:
Still do programa televisivo educacional The Joy of Painting, transmitido na PBS entre 1983 e 1994, nos Estados Unidos. 
© Autor desconhecido
Exposições Futuras

Assine a nossa newsletter