A Galeria Municipal do Porto apresenta um programa regular de exposições e eventos dedicados à arte contemporânea, desenvolvendo projetos também nos domínios do design e da arquitetura. Com a missão de apresentar exposições que promovam uma reflexão sobre as tendências artísticas e discursivas contemporâneas, a Galeria Municipal do Porto promove debate, investigação e disseminação de ideias em torno das artes.
Desde que reiniciou a sua atividade em 2014, a Galeria Municipal do Porto tem colaborado com parceiros nacionais e internacionais na programação e comissariado de exposições, performances e debates, estimulando envolvimento a longo prazo através do seu projeto educativo e editorial.
A Galeria Municipal do Porto é um espaço com entrada livre e conta com a Fundação EDP como mecenas principal.
Entrada livre

Horário

Terça - Sábado
10h00-18h00

Domingo
14h00-18h00

Encerrado à segunda-feira e feriados

Contactos
 Rua D. Manuel II
(Jardins do Palácio de Cristal)
4050-346 Porto

+351 226 081 063
galeriamunicipal@cm-porto.pt
fb.me/galeriamunicipaldoporto

Equipa

Presidente
Rui Moreira

Direção Artística
Guilherme Blanc

Direção Executiva
Sílvia Fernandes

Coordenação de Produção
Patrícia Vaz

Apoio à Curadoria
Rita Roque

Coordenação Editorial

Lídia Queirós

Comunicação
Tiago Dias dos Santos
 
Serviço Educativo
Mariana Bacelar
Rita Roque

Equipa de Montagem
Isidro Caldeira
Joaquim Tavares
Paulo Coelho
Paulo Vieira

Técnicos de Audiovisual
Guilherme Dantas
Luís Neves

Apoio à produção

Joaquim Aguiar
Maria dos Anjos Cerdeira  

Direção Municipal da Cultura
  
Diretora de Departamento
Sofia Alves
 
Serviços administrativos
Eduarda Paiva
Nina Machado

  • mecenas:

  • organização:

  • Fundação Edp
  • Porto.
Expo’98 no Porto é um concurso que atribui duas bolsas para a realização de duas exposições na Galeria Municipal do Porto, entre 2019 e 2020.

Enquanto espaço municipal, a Galeria Municipal tem por missão apresentar exposições que promovam reflexões sobre as tendências artísticas e discursivas contemporâneas. Com Expo’98 no Porto pretende-se reforçar essa missão através de um projeto que estreita a relação entre a singularidade da sua identidade programática e a prática artística e curatorial da cidade.

Dirigido a curadores e artistas residentes no Porto durante todo o período de conceção e implementação dos projetos expositivos, Expo’98 no Porto conta com um orçamento total de 98.000 euros. As duas exposições resultantes do concurso serão apresentadas na Galeria Municipal: a primeira, com um orçamento de 34.000 euros, será inaugurada em dezembro de 2019, e a segunda, com um orçamento de 64.000 euros, será apresentada em 2020.

As candidaturas deverão ser enviadas para galeriamunicipal@cm-porto.pt a partir de 1 de março de 2019.

 

+ info

JÚRI

Daniela Agostinho

Daniela Agostinho é investigadora de pós-doutoramento no Departamento de Artes e Estudos Culturais da Universidade de Copenhaga. Foi curadora da coletiva Artists Film International (MAAT, 2017) e da individual de Aimée Zito Lema (Museu Gulbenkian, com Ana Cachola e Luísa Santos, 2018).

Miguel Ferrão
Licenciado em Pintura pela FBAUL, é mestre em Filosofia-Estética pela FCSH-UNL e doutorando em Estudos Artísticos - Arte e Mediações pela mesma instituição. Dirige com Eduardo Guerra, desde 2010, o projecto artístico Musa paradisiaca, finalista dos Prémios EDP Novos Artistas (2013) e Sonae Media Art (2015). Foi assistente curatorial na Galeria Zé dos Bois (2008-2010) e coordenador da programação “Aguêdê-Alê”, em São Tomé e Príncipe (2010-2013).

Nuno Faria
Formado em história de arte e arqueologia. É director artístico do CIAJG —Centro Internacional das Artes José de Guimarães, curador e professor na ESAD - Escola de Artes e Design das Caldas da Rainha.

TRANSANTIQUITY

Transantiquity propõe um espaço de indagação sobre a forma como o legado da Antiguidade se manifesta na reflexão sobre o tempo contemporâneo. A exposição incide sobre a relação entre paradigmas culturais, políticos e filosóficos da Antiguidade e a obra de um conjunto de artistas cuja prática explora ideias de construção de identidades políticas, pessoais e naturais, em diversos territórios.
A ideia de que a Antiguidade pode constituir um património estático ou um repositório simbólico de princípios éticos e estéticos é hoje contrariada pela forma como é interpretada pelo discurso contemporâneo para nos confrontar com a nossa condição atual e pensarmos os caminhos de amanhã. Olhar e refletir sobre o passado como forma de pensar a fragilidade de um projeto político europeu que edifica a sua identidade sobre os mitos e princípios fundadores da cultura greco-romana.
Simultaneamente, a exposição questiona esses mesmos cânones ocidentais, propondo pensar a Antiguidade num mundo global em que se torna indispensável considerar outros discursos, filosofias e crenças.
Declinando-se num projeto que, por um lado, questiona a linearidade do Tempo enquanto veículo de construção de conhecimento e que, por outro, sugere uma leitura aberta e problematizadora de um desejo cíclico e transitório do “clássico”, Transantiquity perscrutou o futuro possível a partir da interpretação (e reinvenção) das ruínas do nosso tempo e do tempo dos outros.
Editora:
Câmara Municipal do Porto / Galeria Municipal do Porto

Projeto Editorial:
Guilherme Blanc

Coordenação Editorial:
Maria Burmester

Design Gráfico:
Colönia

Textos:
Alexander Massouras
Brooke Holmes
Filipa Oliveira
Guilherme Blanc
Marina Warner
Pedro Barateiro

Tradução:
Cláudia Gonçalves
Manuel Neto
Rui Cascais Parada
Sofia Gomes

Edição:
Lídia Queirós
Maria Burmester

Fotografia:
Dinis Santos
Renato Cruz Santos (Pp. 93)
Cortesia Pedro Barateiro (Pp. 88-89)

Pré-Impressão, Impressão e Acabamento:
Gráfica Maiadouro

Isbn 978-989-54209-9-5
Exposições actuais