Atuais
Futuras

12.06 – 22.08.2021

WALL גדר جدار
INÉS MOLDAVSKY

Wall גדר جدار parte de um convite à artista argentino-israelita Inés Moldavsky para revisitar e expandir, em contexto instalativo, o seu filme The Men Behind the Wall, vencedor do Urso de Ouro na Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim – em 2018. Nesta obra fílmica, a artista estabelece um conjunto de conversas e encontros presenciais com homens palestinianos que vivem em Gaza e na Cisjordânia, através de uma aplicação de dating.
A porta digital é usada como ponto de partida para visitações aos dois territórios, em percursos cuja tensão é colocada em cena através da paisagem visual e sónica e, também, da expressão linguística.
No projeto desenvolvido para a Galeria Municipal do Porto, a artista densifica esta proposta de atravessamento de fronteiras – digitais, políticas, religiosas e de género – construindo um exercício franco e, por isso, provocador de intimidade conversacional e de análise.
O contexto particular das interações afetivas e sexuais na era digital continua a servir de subtil pano de fundo para problematizar questões de segregação, ao mesmo tempo que propõe discutir relações de poder através de diversos estereótipos.
Num período particularmente tenso entre os estados de Israel e Palestina, Wall גדר جدار atesta a validade de uma contínua necessidade de debate político em torno da questão da ocupação israelita, ao mesmo tempo propondo uma leitura meta-política sobre amor, respeito e igualdade.
Curadoria:
Guilherme Blanc


Visita Guiada com o curador
Domingo, 20 de junho às 16h

12.06 – 22.08.2021

PÉS DE BARRO

Algumas pessoas poderão associar o barro, a olaria e a cerâmica à tradição, e a tradição ao passado. Outras poderão associar tecnologia, comunicação digital e bancos de dados com o novo, e o novo com o futuro. E se o futuro for uma tecnologia tão antiga e peculiar como o barro? E se afinal o barro for uma matéria que permanentemente se regenera e dá ao tempo as suas imprevisíveis configurações? E se o barro for o futuro e o futuro for o barro?
E se os pés de barro revelassem uma vulnerabilidade porque o resto do corpo é de um material diferente? E se na realidade os pés de barro enraízam as pessoas à terra, ligando‑as através da mesma matéria? E se os pés de barro forem uma forma de estabelecer uma comunicação pós‑tecnológica, que não requer redes ou cabos? Apenas os nossos muitos, um, dois, oito, vinte pés e algum barro?
Estas são algumas das questões e enigmas abordados pelas curadoras Chus Martínez (curadora, historiadora de arte, escritora e directora do Art Institute da FHNW Academy of Art and Design Basel) e Filipa Ramos (escritora, curadora da secção de filme da Art Basel e co-curadora da última edição do Fórum do Futuro), reunindo um conjunto de artistas que têm usado o barro, a olaria e a cerâmica para imaginar, projetar e moldar o mundo em que vivem.
Artistas:
Neïl Beloufa
Isabel Carvalho
Gabriel Chaile
Pauline Curnier Jardin
Formabesta (Salvador e Juan Cidrás)
Tamara Henderson
Ana Jotta
Eduardo Navarro

Curadoria:
Chus Martínez
Filipa Ramos



Assine a nossa newsletter