close
A Galeria Municipal do Porto, situada nos Jardins do Palácio de Cristal, foi projetada pelo arquiteto José Manuel Soares e inaugurada em 2001.
Apresenta um programa regular de exposições e eventos dedicados à arte contemporânea, desenvolvendo projetos também nos domínios do design e da arquitetura.
Com um programa de seis exposições anuais comissariadas pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Porto, em articulação com curadores nacionais e internacionais e em coorganização com instituições culturais portuguesas e estrangeiras, a Galeria Municipal propõe uma reflexão sobre as tendências plásticas e discursivas da produção artística contemporânea estimulando o debate sobre as artes.
A Galeria Municipal do Porto é um espaço com entrada livre e conta com a Fundação EDP como mecenas principal.
Os projetos expositivos da Galeria Municipal do Porto são comissariados pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Porto

Equipa

Presidente e Responsável pela Cultura
Rui Moreira

Direção Artística
Guilherme Blanc

Direção Executiva
Sílvia Fernandes

Coordenação de Produção
Patrícia Vaz

Assistência de Curadoria
Rita Roque

Coordenação Editorial

Lídia Queirós, Sofia Lemos
 
Serviço Educativo
Graça Lacerda, Rita Roque

Montagem
Isidro Caldeira, Joaquim Tavares, Octávio Vieira, Paulo Coelho, Paulo Vieira

Técnicos Som e Imagem
Arlindo Santos, Guilherme Dantas, Luís Neves, Telmo Vasco Teixeira
 
Apoio à produção
Joana Simons, Joaquim Aguiar, Maria dos Anjos Cerdeira, Sandra Paulinha
 
Direção Municipal de Cultura e Ciência
 
Diretora Municipal
Mónica Guerreiro
 
Diretora de Departamento
Sofia Alves
 
Serviços administrativos
Eduarda Paiva, Nina Machado

  • mecenas:

  • organização:

  • Fundação Edp
  • Porto.
close
Rua D. Manuel II
(Jardins do Palácio de Cristal)
4050-346 Porto
 
+351 226 081 063
galeriamunicipal@cm-porto.pt
fb.me/galeriamunicipaldoporto

Terça - Sábado
10h00-18h00

Domingo
14h00-18h00
 
Encerrado à segunda-feira e feriados
Entrada livre

07.12.2018 - 17.02.2019

TRANSANTIQUITY

Transantiquity propõe uma interrogação sobre a inscrição da prática de um conjunto de artistas contemporâneos no pensamento sobre a Antiguidade. A exposição questiona assim a definição de Antiguidade para além de visões e modelos eurocêntricos, propondo invocar paradigmas em que a Antiguidade se alicerça numa reflexão sobre o tempo, a história, a arqueologia e, principalmente, sobre a construção de identidade. Transantiquity não ignorará os mitos fundadores, a partir de uma ideia de um tempo líquido, de uma antiguidade que transcende as fronteiras temporais, geográficas e culturais, e que chega até aos nossos dias através de múltiplos entendimentos artísticos. 
Curadoria:
Filipa Oliveira
Guilherme Blanc